187667269036993
 

Our Recent Posts

Archive

Tags

Nutrientes na fibromialgia

Nutricionista Patricia Lopes de Oliveira



A fibromialgia tem etiologia desconhecida, é caracterizada por dor crônica generalizada no aparelho locomotor, além de fadiga intensa, alterações do sono, parestesias nas extremidades, depressão, ansiedade, rigidez articular, cefaleia e sensação de tumefação nas mãos. O diagnóstico é difícil, não existem testes laboratoriais para confirmar o diagnóstico, que se baseia na presença de dor corporal há pelo menos três meses com os sintomas citados acima e não associados a alguma outra doença.


Até o momento, há evidência moderada para o uso de magnésio, que é essencial para a síntese de ATP, evidência forte para a suplementação com S-adenosil-L-metionina (SAM-e) e limitada para Chlorella pyrenoidosa, enquanto antocianidinas e dieta vegetariana têm evidência limitada.


Além desses nutrientes fala-se sobre as vitaminas C e E (α-tocoferol) e o β-caroteno como antioxidantes e estimulantes do sistema imune. Maleato de magnésio pode reduzir a fadiga e prevenir câimbras musculares, os pacientes com fibromialgia podem requerer maleato de magnésio extra em comparação com a razão usual de 2:1 de cálcio para magnésio. A ingestão de alimentos como peixe de água gelada, óleo de salmão e óleo de prímula pode influenciar no fluxo sanguíneo e transmissão do impulso nervoso. A metilsulfonilmetano (MSM) pode fortalecer o tecido conectivo e reduzir a dor nas articulações; glucosamina sulfato pode reduzir a dor e melhorar a mobilidade das articulações.


A suplementação de coQ10 limita a produção de radicais livres e auxilia . Sugere-se que a CoQ10 seja um no aumento na biogênese mitocondrial, auxiliando na produção de energia e no controle da dor nas articulações, episódios e intensidade de dor de cabeça, sintomas de fadiga, depressão e ansiedade. A disfunção mitocondrial pode estar envolvida em diversos sintomas observados na fibromialgia.


O excesso de peso também pode aumentar a inflamação e a dor e a redução pode reduzir a pressão nas articulações, a demanda de energia para as tarefas e aumentar a disposição. A vitamina E poderia diminuir a produção de radicais livres e a inflamação. Há uma deficiência de vitamina D entre pacientes com fibromialgia, que serão beneficiados com suplementação de vitamina D e cálcio, além da prática de atividade física, junto com o tratamento médico para prevenir o desenvolvimento de osteoporose.


Alguns sintomas da fibromialgia, como fadiga, dor de cabeça e desconforto gastrointestinal, também são sintomas comuns em indivíduos com sensibilidade ao glúten e sua retirada há remissão dos critérios de dor, retorno ao trabalho e descontinuação do uso de opioides, além da melhora de sintomas, como fadiga, sintomas gastrointestinais, enxaqueca e depressão. A exclusão de glúten deve ser seguida de uma dieta balanceada, com a ingestão de grãos integrais, inclusão de mais legumes e redução da densidade energética dos alimentos, buscando nutrição adequada e balanço dietético de acordo com os sintomas, mais que a simples exclusão de glúten da dieta.


Referência:


SILVA, A. F., SCHIEFERDECKER, M.E.M. Recomendações nutricionais para o tratamento da fibromialgia. Demetra. 12(3); :751-765, 2017.